Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Faça você mesmo: um servidor NAS de baixo custo

Créditos HTML STAFF

Imagine a seguinte situação: sua empresa possui uma rede mista, com máquinas rodando Linux, Windows e Mac OS (Classic e o OS X). É necessário compartilhar arquivos entre todas as plataformas de forma transparente aos usuários e de fácil gerenciamento para o administrador de redes. Nesse caso, a melhor solução é criar um servidor de arquivos dedicado, ou NAS (do inglês Network Attached Storage, ou Armazenamento Conectado à Rede).

O FreeNAS (http://www.freenas.org) é uma solução NAS livre e gratuita (distribuída sob a licença BSD), desenvolvida pelo francês Oliver Cochard. Tem suporte a compartilhamento de volumes pelos protocolos CIFS (também conhecido como SMB ou Samba), FTP, NFS, AFP e RSync, autenticação local e remota de usuários, criação e gerenciamento de volumes RAID 0, 1 e 5 e muito mais. A base do software é uma versão mínima do sistema operacional FreeBSD e uma interface de gerenciamento web muito fácil de usar, ambos adaptados a partir do código do projeto M0n0wall. Sua popularidade no mercado de soluções de TI e na comunidade do software livre pode ser medida pelos quase 150 mil downloads desde o início do projeto.

Hardware necessário

O FreeNAS pode ser baixado gratuitamente no site oficial. O sistema é distribuído como imagens ISO ou DMG (imagens de disco, para gravação de um CD), código-fonte não compilado (no formato TGZ) e, para quem quer testar sem compromisso, máquinas virtuais do VMWare, com um sistema pré-instalado e quatro “discos” de 100 MB configurados.

Os requisitos de hardware são mínimos: uma máquina com um processador Intel/AMD de pelo menos 150 MHz, 32 MB de RAM (64 MB recomendados), 32 MB de espaço em disco, uma interface de rede 10/100 Mb/s (qualquer Realtek ou clone da clássica NE2000 serve) ou interface wireless compatível com FreeBSD 6 e unidade de CD-ROM. A placa-mãe também deve ter suporte a discos rígidos IDE, SATA ou USB Mass Storage, depende da forma como você pretende conectar os discos que serão compartilhados.

O sistema inteiro ocupa míseros 32 MB de espaço em disco, e pode ser instalado em cartões Compact Flash, discos rigídos ATA/SATA/SCSI e até mesmo em um memory key USB dos mais simples. Caso opte pela instalação em um disco rígido, note que o sistema deve ficar em um disco separado dos discos que serão compartilhados.

NAS Instantâneo

Um dos principais destaques do FreeNAS é a possibilidade de gerenciamento completo do servidor via web. Basta um navegador para acertar configurações de rede como o hostname e IP, gerenciar usuários e permissões, adicionar e remover discos rígidos on-the-fly, criar volumes RAID 0, 1 e 5 com apenas alguns cliques do mouse e muito mais. É possível até fazer atualizações de firmware. Atualmente ela tem versões em inglês, francês e espanhol, e há planos para o suporte a outros idiomas no futuro.

Montamos uma máquina com peças diversas espalhadas pelo nosso laboratório, usando dois discos rígidos SATA de 250 GB cada e um pendrive USB de 128 MB para abrigar o sistema operacional. Usamos a interface web para adicionar os dois discos ao sistema. Durante a operação, é possível definir vários parâmetros, como tempo limite para o disco entrar em stand-by, gerenciamento de energia e gerenciamento acústico, que reduz a velocidade dos discos para reduzir o ruído, à custa de queda no desempenho.

A formatação dos discos também é feita via web, usando o sistema de arquivos UFS, bem como a criação do volume RAID. Para compartilhar o novo volume com o resto da rede, bastou ir ao item CIFS no menu Services e especificar parâmetros como o tipo de autenticação no acesso, nome NetBIOS e Workgroup. No final das contas, em menos de 20 minutos tínhamos um volume RAID 0 de 500 GB compartilhado com os PCs com Windows, Linux e Macs de nossa rede. Levamos mais tempo para montar a máquina do que para instalar e configurar o software.

Nosso volume de testes foi compartilhado sem autenticação. Entretanto, é possível autenticar usuários e grupos em bases locais ou remotamente em domínios Active Directory. O suporte a NIS, Radius e LDAP ainda não está pronto, mas já foi prometido para uma próxima versão.

O sistema de diagnóstico do FreeNAS não desaponta. Sob o item Status no menu lateral você pode consultar informações sobre o sistema, processos em execução e estado e uso dos discos. No item Diagnostics você pode ver logs do sistema operacional, bem como de cada sistema de compartilhamento de arquivos em execução. Uma aba de configuração permite fazer o ajuste fino destes logs, definindo quantos registros serão mostrados e em que ordem. É possível até mesmo configurar o FreeNAS para registrar eventos em um servidor syslog externo. Toda a configuração do servidor pode ser exportada para um arquivo XML, que pode ser importado mais tarde para restaurar o servidor em caso de desastres.

Espírito de equipe

O projeto FreeNAS oferece em seu site todo o código-fonte do sistema, que pode ser baixado, modificado de acordo com suas necessidades e até mesmo redistribuído de acordo com os temos da licença BSD. Para auxiliar os desenvolvedores interessados em participar, o site oficial abriga uma cópia em HTML do FreeNAS Developer´s Handbook, um guia que explica, entre outras coisas, como criar seu próprio servidor NAS a partir do zero e detalha o funcionamento do sistema.

No geral, o FreeNAS é uma ótima solução de baixo custo para servidores NAS, embora alguns recursos importantes como suporte a SNMP, gerenciamento de cotas de disco por usuário e grupos e alertas por e-mail ainda não tenham sido implementados.

Após os testes realizados no PC Labs, podemos dizer que o FreeNAS superou nossas espectativas pela facilidade de gerenciamento e intuitividade do software.


Nenhum comentário:

Veja também: